Logo do siteSilhueta da face do Maujor seguida do texto Maujor o dinossauro das CSS

Menu hamburger Três barras horizontais na cor laranja destinadas a ser clicada para abrir o menu menu do site

Você está no BLOG do Maujor. IR PARA O SITE

Caçando bugs na jQuery

Publicado em: 2012-02-11 — 10.666 visualizacoes

ilustra caça bug

Dan Heberden publicou no GitHub um pequeno script denominado jquery-include destinado a carregar qualquer versão da biblioteca jQuery em sua página web. Ora bolas! Por que alguém iria se importar com mais uma forma de carregamento da biblioteca jQuery se tantas e já consagradas formas existem?

O diferencial do script de Dan é a possibilidade de carregamento de qualquer versão da biblioteca com o simples acréscimo de uma query string no URL da página na qual pretendemos carregar a biblioteca. Suponha a página de um site, que usa a biblioteca jQuery versão 1.6.4, cujo URL é: http://site.com.br/exemplo.html.
O site em questão foi projetado há algum tempo, e, naquela ocasião a versão mais recente da biblioteca era a 1.6.4. Além disso o desenvolvedor usou o script de Dan para fazer a chamada da biblioteca jQuery em suas páginas.

Hoje (dia em que esta matéria foi escrita a versão da biblioteca é a 1.7.1 e já existe um versão beta, de testes, da 1.7.2 denominada 1.7.2b1. Pois bem! Quer testar o funcionamento do site com uso das versões 1.7.1 ou da 1.7.2b1? É muito provável que com a versão 1.7.1 tudo funcione normalmente, a menos que alguma funcionalidade prevista na versão 1.6.4 tenha sido tornado obsoleta e retirada da versão 1.7.1. Contudo se ao carregar a versão 1.7.2b1 algo sair errado é muito provável que você tenha encontrado um bug, e, mais, se o que saiu errado estiver certo quando for carregada a versão estável mais recente então: BINGO! você encontrou um bug e poderá contribuir com o time de desenvolvimento da jQuery reportando o bug encontrado preenchendo um formulário apropriado. E, o interessante disso é que não foi você quem desenvolveu o site e nem mesmo tem acesso FTP a ele. Você simplesmente abre a página do site no navegador, adiciona uma query string no URL e recerrega a página para chamar uma nova versão da biblioteca, como mostrado a seguir considerendo nossa página exemplo anterior:

http://site.com.br/exemplo.html?jqversion=1.7.2b1

O script de Dan

<script type="text/javascript">
  (function(){
    // Verifica se existe uma query string jqversion no URL e armazena na variável verMatch.
    // Busca uma query string constituída somente de números, letras e ponto com a finalidade de impedir ataque XSS
    var verMatch = /jqversion=([\d\w\.]+)/.exec( location.search ),
        // versão encontrada, por exemplo: 1.6.4 or 1.7rc1
        version = verMatch && verMatch[1],
        src;
    if ( version ) {
      // A verificação da query string resultou em uma verão válida. Use o CDN da jQuery para lincar a versão (não comprimida, beta ou RC) encontrada
      src = 'code.jquery.com/jquery-' + version;
    } else {
      // A verificação da query string não resultou em uma versão válida. Use o CDN do Google (ou da jQuery ou da Microsoft) para lincar a versão comprimida
      src = 'ajax.googleapis.com/ajax/libs/jquery/1.7.1/jquery.min';
    }
    // cria uma tag script lincando para a versão
    document.write( '<script src="//' + src + '.js"><\/script>' );
  })();
</script>
<script type="text/javascript">
  // Usa uma cópia local, como backup caso falhe o carregamento a partir do CDN. Nesse exemplo não usamos essa opção.
  if ( !window.jQuery ) {
    document.write( '<script src="/scripts/jquery-1.7.1.min.js"><\/script>' );
  }
</script>

O script foi comentado para facilitar seu entendimento, mas se você tem alguma dúvida, fique à vontade para perguntar na área de comentários.

Além disso você poderá comprovar o funcionamento do script na prática visitando essa página exemplo que desenvolvemos para essa finalidade específica.

Gostou? Use e o time da jQuery agradece

Que tal, a partir de agora, usar o script de Dan para “fazer a chamada” da biblioteca jQuery para as páginas que você desenvolver? O máximo que poderá acontecer é um site funcionando normalmente usando a versão da biblioteca que você escolheu. Contudo o máximo dos máximos é que você estará proporcionando aos desenvolvedores do mundo inteiro a oportunidade de caçar bugs nas versões de testes futuras usando seu site como suite de testes. E, é claro, o time de desenvolvimento da jQuery agradece.

Desenvolvimento com Padrões Web? Adquira os livros do Maujor
Visite o site dos livros.

Esta matéria foi publicada em: 2012-02-11 (sábado). Subscreva o feed RSS 2.0 para comentários.
Comente abaixo, ou link para http://www.maujor.com/blog/2012/02/11/cacando-bugs-na-jquery/trackback no seu site.

Um comentário na matéria: “Caçando bugs na jQuery”

  1. Lucas FigueredoNo Gravatar disse:

    Adorei cara, todos os tutoriais que li nenhum me resultou o que eu procurava, até vê uma luz no fim do túnel chamado maujor, cara esse código funcionou certinho com que eu precisava… Fico muito agradecido e recomendo a todos.

Comentário:





Teclar "Enter" cria um novo parágrafo. Teclar "Shift + Enter" causa uma quebra de linha.

Subscribe without commenting

topo