Logo do siteSilhueta da face do Maujor seguida do texto Maujor o dinossauro das CSS

Menu hamburger Três barras horizontais na cor laranja destinadas a ser clicada para abrir o menu menu do site

Você está no BLOG do Maujor. IR PARA O SITE

HTML é a nova HTML5

Publicado em: 2011-01-21 — 13.053 visualizacoes         

O blog do WHATWG (o grupo de trabalho que desenvolve a HTML5) publicou há dois dias uma matéria assinada por Ian Hickson, editor da HTML5, intitulada “HTML is the new HTML5”.

O teor da matéria agitou estrondosamente a comunidade internacional interessada na HTML5 e a esmagadora maioria dos comentários, não só na matéria como também em blogs relacionados, em um primeiro momento, oscilou entre a perplexidade e a indignação.

Ponderações que vão desde a perda de uma referência para desenvolver com uso da HTML até sugestões sarcásticas como nomear a novidade de DHTML espoucaram aqui e ali.

Mas afinal o que causou tanta agitação e protesto?
Vamos examinar o que foi dito na matéria e tirar nossas próprias conclusões.

Prazos iniciais

A matéria começa lembrando que em 2009 o WHATWG anunciou que a especificação para a HTML estava caminhando para o estágio de “Last Call” e que o objetivo era finalizar a especificação em 2011 e publicar um “snapshot” da HTML5 em 2012.

Nota: O modelo de desenvolvimento dos documentos do W3C prevê 5 fases distintas. Last Call Working Draft que foi citada na matéria é a fase final da fase Working Draft (rascunho de trabalho) que por sua vez é a primeira fase do processo.
A fase Last Call é aquela em que o rascunho de trabalho é enviado para ser revisto e comentado pelos Grupos do W3C e pelo público em geral em um prazo determinado que à principio é de três semanas, podendo ser dilatado.
A fase seguinte é a de Candidata a Recomendação. O termo publicar um “snapshot”, citado na matéria, refere-se a publicação da especificação no estágio em que ela se encontra em determinado momento. No caso tendo terminado a fase de Last Call e no ano de 2012, possivelmente já como Candidata a Recomendação.

A matéria continua, afirmando que logo após ter sido estabelecida a meta descrita o WHATWG se deu conta de que a demanda por implementação de novas funcionalidades ainda era muito grande e assim era necessário que se continuasse o trabalho de manutenção da HTML e implementação de novas funcionalidades e não era o momento de se chamar a especificação de HTML5.

Em consequencia dessa constatação o WHATWG estava naquele momento alterando o seu modelo de desenvolvimento no qual não havia qualquer sentido em se atribuir uma versão para a tecnologia em desenvolvimento e que a partir de então em lugar de uma especificação o WHATWG passaria a desenvolver um documento dinâmico atualizando-o à medida que a tecnologia fosse evoluindo.

No parágrafo seguinte em uma frase curtíssima o WHATWG anuncia que face ao interesse na publicação de um snapshot da HTML5 o W3C continuaria o trabalho na HTML5 em conjunto com o WHATWG.

Duas mudanças

A matéria do blog anuncia que duas mudanças estavam sendo introduzidas nos trabalhos do WHATWG.

1. A especificação da HTML5 a partir de agora passa a se chamar simplesmente HTML e sua URL passa a ser http://whatwg.org/html e em paralelo continua o trabalho de manutenção das Web Applications 1.0 que contempla a HTML e várias APIs relacionadas como Web Storage, Web Workers e Server-Sent Events.

2. A especificação HTML do WHATWG pode ser agora considerada uma Standard dinâmica mais madura que qualquer versão da HTML e assim não há sentido em chamá-la de rascunho. Não mais será seguido o modelo de especificação em desenvolvimento com suas chamadas para comentários, chamadas para implementações e assim por diante.

O fecho

O parágrafo que fecha a matéria afirma que o WHATWG, na prática, vem trabalhando assim há muito tempo e que a intenção era mudar de HTML5 para HTML no ano passado, mas isso não foi feito porque o termo HTML5 era muito usado.

Hoje HTML5 é usado basicamente para significar qualquer tecnologia relacionada com Web-Standard, então, chegou a hora de mudar.

Para você refletir

  1. Você acha que o WHATWG que surgiu por insatisfação com o modelo do W3C “jogou a toalha”? Tipo é fácil criticar, difícil é fazer?
  2. A HTML5 não morreu, isso é um fato. Vai ser desenvolvida segundo o modelo do W3C. Na sua opinião isso é bom ou ruim?
  3. Você considera que a existência de um documento dinâmico de desenvolvimento será capaz de polarizar a atenção da comunidade tal como a HTML5?
  4. Como desenvolvedor o que mais interessa à você na prática? A especificação da HTML5 pelo W3C ou o documento dinâmico do WHATWG?
  5. Você ficou satisfeito com as mudanças na filosofia de desenvolvimento da HTML?

Livros do Maujor

Desenvolvimento com Padrões Web? Adquira os livros do Maujor
Clique a "capinha" para visitar o site do livro.

capa livro jQuery   capa livro ajaxjQuery   capa livro css   capa livro html   capa livro javascript   capa livro html5   capa livro css3   capa livro jQuery Mobile   capa livro jQuery UI   capa livro SVG   capa livro RWD   capa livro foundation   capa livro HTML5 e CSS3   capa livro Bootstrap3   capa livro Sass e Compass

Esta matéria foi publicada em: 2011-01-21 (sexta-feira). Subscreva o feed RSS 2.0 para comentários.
Comente abaixo, ou link para http://www.maujor.com/blog/2011/01/21/html-e-a-nova-html5/trackback no seu site.

26 comentários na matéria: “HTML é a nova HTML5”

  1. MaujorNo Gravatar disse:

    Boa Thiago!
    Grato pelo comentário.

  2. Thiago CamposNo Gravatar disse:

    O foco do artigo é um pouco outro, mas só pra acrescentar ao comentário do Kinrpg, que li mais recentemente.

    O negócio é o seguinte: você não coloca o melhor motor do mundo em todas as carrocerias. Mas talvez você vai querê-lo num fórmula 1 ou num carro de luxo. Hoje, HTML5 é tecnologia de ponta e pode sim ser aplicado para situações específicas onde tirar-se há proveito dos seus novos recursos. Não é (e talvez não será) pra todos. E para as outras situações que continua existindo e valendo o HTML 4, XHTML 1 e CSS 2.1. Assim como existem os motores 1.0, 2.0 e etc. Um pra cada carroceria, público e necessidade.

    Mesmo quando HTML5 for recomendação, talvez não seja a melhor opção pra todos os projetos. Enfim, é necessário deixarmos de ser xiitas e entender melhor os contextos que envolvem o desenvolvimento de um site (UX: usabilidade, DI, AI, usabilidade, interoperabilidade, etc).

  3. KinrpgNo Gravatar disse:

    Eu acredito no seguinte. HTML5 é uma ferramenta que veio sim com muita coisa forte. Mas de que adianta o melhor motor do mundo se os carros não são adaptados para recebelos. Eu estava fazendo sites em HTML5 para alguns clientes para testar a nova tecnologia, mas as gambiarras que tem de fazer para que ele se torne compativél a todos…

    Voltei a usar html e css2, pelo menos por enquanto. Mesmo com scripts como do do google, ainda não é funcional. Uma vez que os fabricantes de navegadores não seguem um padrão.

  4. EliseuNo Gravatar disse:

    Parabens por postar isso.

  5. Olaides Duarte FerreiraNo Gravatar disse:

    Não tem jeito o HTML5 está aí para ficar o resto é como falaram dor de cotovelo mesmo.

  6. Antonio AlmeidaNo Gravatar disse:

    Já utilizo HTML5 com CSS3 é uma maravilha!

  7. FelipeNo Gravatar disse:

    WHATWG ??? WTF ???

    é dor de cotovelo da W3C

    nunca tinha ouvido falar nessa WHATWG

    pra mim é papo furado.

    Da-lhê HMTL5

  8. Mais Empresas Criação de SitesNo Gravatar disse:

    Tem mesmo que fazer uma padronização.

  9. AlexandreNo Gravatar disse:

    Gostaria de deixar aqui os meus parabéns pelo excelente blog e também fazer uma sugestão: a de publicar uma postagem aqui informando sobre a existencia do “Portal das Video Aulas”, um site que reuni diversas video-aulas gratuitas, que vão desde aulas de inglês, até como tocar violão… com o objetivo de democratizar o acesso ao conhecimento no Brasil. O endereço do site é http://www.portaldasvideoaulas.com.br
    Obrigado!

  10. Thiago RezendeNo Gravatar disse:

    Então a logo do HTML 5 lançada pela W3C, não deverá ser utilizada??

  11. Carlos Eduardo de SouzaNo Gravatar disse:

    Não acredito MESMO que o HTML(5) irá perder sua credibilidade por este ato.

    Lendo o texto original, entendi que esta foi uma forma de separar um pouco a bagunça que estava sendo feita com o HTML5. Muitas tecnologias “misturadas” e não necessariamente tão semelhantes, abaixo de um mesmo nome.

    Por isso a própria especificação da WHATWG eliminou alguns itens que agora só fazem parte da W3C, deixando o (agora) HTML mais claro e específico para quem trabalha com Web Standards.

    Para mim foi uma atitude extremamente louvável e, pelo contrário, não jogaram a toalha. Só encontraram uma forma de tentar arrumar essa bagunça toda!

  12. Eduardo RabeloNo Gravatar disse:

    No final, o WHATWG é o moto de desenvolvimento da HTML e o W3C padroniza para melhor absorção pelos desenvolvedores de Browsers,

    Eu sempre interpretei desse jeito,

    O resto, birrinha, intriga, e bla bla bla, é tudo momentâneo,

    O que importa é a evolução!

  13. Sérgio SallesNo Gravatar disse:

    Complicado. Meu medo é só o html5 perder a credibilidade. Quem deve estar soltando fogos com essa incerteza é a Adobe e sua comunidade Flash.

  14. FabianoNo Gravatar disse:

    Assim como o Sérgio Antônio dos Santos também já comentei sobre o versionamento da linguagem. A próxima versão é a 5 e não tem como mudar isso.

    É a mesma coisa que lançarem o PHP6 e chamarem de PHP. Logo HTML5 sempre vai ser HTML5 e não pode ser chamada de HTML.

  15. Paulo RiesNo Gravatar disse:

    Penso que o ciclo atual (muito longo, como já mencionado aqui…) é o que há de pior nesta história. A evolução da tecnologia, funcionalidades e necessidades é muito mais dinâmica. Acredito sim que um documento de referência dinâmico possa auxiliar-nos a sanar problemas imediatos, sem precisarmos esperar por x anos/meses para conseguir isso. Basta agora ver na prática esse dinamismo, pois se começarem com esse debate eterno nada vai sair do lugar. Pergunto: pq não liberar aos poucos as novas funcionalidades? Afinal, firefox e chrome atualizam seus browser de tempo em tempo e poderiam suportar essas ondas de atualização sem problemas. Caberia ao IE se mexer, ou (finalmente…. rs) morrer na praia. Na prática essa dinamicidade seria mais interessantes, pois cada elemento poderia ser lançado de forma independente e madura, sem necessitar aguardar todo um release. Sim? Não? 😀

  16. Lucas SandovalNo Gravatar disse:

    Tanto faz o nome. HTML ou HTML5. O importante é que a especificação da HTML esteja pronta o mais rápido possível. Espero que as coisas sejam feitas da melhor maneira possível, pois a web realmente precisa evoluir. Como eu já disse, tanto faz o nome, o que eu quero é uma web realmente inovadora e aberta.

  17. trambulhaoNo Gravatar disse:

    O Thiago disse uma coisa interessante. – “.. Precisamos de ciclos mais curtos e simples. ..”

    Isso seria o ideal! Porém, enquanto o Internet Explorer existir e dominar o mercado, será impossível. Com tudo, não sei o que pensar em relação a tudo isso.

    E você Maurício?

  18. Felipe PodestáNo Gravatar disse:

    Bizarro isso ein!

    Agora teremos o velho html4+1 que não é html5 e sim, html4+1.

  19. ThiagoNo Gravatar disse:

    Acredito que como sempre, vencerá quem tiver maior predomínio no mercado. Veja só, a W3C continuará com o processo de recomendação do HTML5 conforme seus estágios prevêem e um dia (quiçá 2012) publicará a versão final. Enquanto isso, a WHATWG dará continuidade no amadurecimento da HTML com desenvolvimento e especificação de novos recursos que poderão ser usados numa futura HTML6 por exemplo. De fato, duas atividades em paralelo geram mais dificuldades de consenso e muitas incertezas.
    Enquanto tudo isso ocorre, acredito que quem vai definir o que os desenvolvedores devem utilizar de fato serão os fabricantes de navegadorers, sejam eles para PC ou Mobile e a quantidade de usuários de tais browsers. Isto é, se os fabricantes, num primeiro momento lançarem versões com suporte a apenas os recursos especificados na HTML5, esta deverá ser, inicialmente, o principal foco dos autores de web. Entretanto, se os fabricantes implementarem não só o HTML5 mas também recursos já previstos na standard dinâmica HTML da WHATWG, aí sim, entendo que será válido um esforço dos autores em também manterem a atenção à esta especificação.
    Uma coisa é certa, os principais recursos já anunciados e largamente difundidos do HTML5 existirão e serão suportados em breve pelos principais browsers. Não é uma questão de padrão, mas uma questão de necessidade das aplicações e facilidades que tais recursos proporcionam aos usuários.
    Respondendo as perguntas:
    1. Sim, acho que a WHATWG sentiu a dificuldade de se chegar a consensos. Mas acho que AINDA não jogaram a toalha. Existem dois problemas quanto a elaboração do novo HTML: excesso de sugestões/novos recursos e muita teimosia entre as partes;
    2. É bom. Quanto mais cedo publicar-se uma nova versão, mais rápida ela é colocada em prática e adotada pelo mercado. Na minha opinião, um erro da WHATWG foi tentar publicar uma versão perfeita e grande demais, que não se termina nunca. Precisamos de ciclos mais curtos e simples.
    3. Como disse, não deve inicialmente atrair o foco, a não ser que os principais navegadores já o implementem com um certo nível de padronização (isto é, o mesmo recursos esteja disponível em todos os browsers mais populares).
    4. Mais urgentemente a HTML5 da W3C. Mas sem dúvidas novos recursos devem ser pesquisados e especificados para futuras versões, como citei.
    5. Prefiria que isso tivesse acontecido quase ao término da publicação do HTML5. Na minha opinião, a WHATWG poderia encerrar as contribuições, fechar um contexto e focar esforços para entregar o HTML5 até o nível de CR. Feito isso, poderia fazer o anúncio.

  20. SamuelNo Gravatar disse:

    Pelo que eu entendi, o que a WHATWG vai fazer é atualizar o html com o que já está “acertado” do html5 com a comunidade, não? Talvez integrar o que se possui do html4 + novidades do html5, resultando em simplesmente html. Como disse o Sérgio: “é uma simples jogada de marketing”.

    Resumindo: acho que isso já deve ter ocorrido quando mudaram de html3 pra html4 só que nunca ouve nenhum alarme quanto a isso, e o html acabou por ser, basicamente, o html4.

    Então que venha o html, e que ele seja o novo html5. 😉

  21. Luis Augusto VulcanisNo Gravatar disse:

    Creio que ainda cedo para vertas afirmações mas não custa tentar, então vamos as respostas.

    1 – Não creio que isso seja jogar a toalha mas adquirir força. A W3C sempre foi influente mesmo não estando na vanguarda. Então é melhor unir forças do que ficar tentando provar teorias.

    2 – Depende do que se levar em consideração. A metodologia da W3C é mais conservadora mas ainda é predominante. Quanto ao fato de passar a ser reconhecida apenas como HTML creio que a WHATWG já previa isso. Basta lebrar que o DOCTYPE da especificação nunca utilizou o 5.

    3 – Só o tempo responderá esta pergunta.

    4 – A especificação.

    5 – Não há como responder com segurança neste estágio do desenvolvimento.

  22. Frederico SpiesNo Gravatar disse:

    Como um desenvolvedor pró-HTML5 sinto que isso foi um tapa na cara pelo meu desejo ver a coisa vir a vida, mas digo também que não foi um balde de água fria pois a W3C mantém a chama do HTML5 viva.

    Na minha opinião, um padrão HTML é muito mais importante que uma especificação dinâmica principalmente no que diz respeito a compatibilidade com os browsers. Se já tentando fazer um padrão, as implementações por parte dos navegadores sofrem diferenças (e ausências), imagina como seria em um documento dinâmico.

    Porque realidade seja dita, o universo do desenvolvedor Web, seja através de um padrão ou documento dinâmico, se resume a expressão destes nos browsers que os usuários usam.

  23. RafaellyraNo Gravatar disse:

    1. Eu acredito que o WHATWG sentiu uma certa pressão, e entregou o jogo.

    2. Existem os dois lados da moeda, por um lado é bom e pelo outro é ruim, mas acho que será bom, porque o W3C está com uma acertar e ‘mostrar serviço’.

    3. Com certeza não.

    4. HTML5

    5. Acredito que com as mudanças os erros devem ser percebidos e a tendência é que se faça melhor da próxima vez. O que temos a fazer é aguardar.

  24. WendersonNo Gravatar disse:

    Acho que as mudanças eram muitas.

    Por tanto eles ficaram assustados com as própias idéais, e talvez até mesmo pelo fato de esperar que os navegadores atuem como devem em relação ao HTML5.

    (Ou seja;correram da guerra!)

  25. Sérgio Antônio dos SantosNo Gravatar disse:

    Na minha opinião o HTML5 não morreu e não vai morrer. A versão do HTML será a 5 uma vez que não tem como isso ser diferente.

    Mudar o nome de HTML5 para HTML é uma simples jogada de marketing para chamar a atenção de toda a comunidade para o fato de que o HTML5 está chegando.

    Eu acredito que a WHATWG não jogou a toalha. A WHATWG vai continuar a trabalhar no HTML 5 junto com a W3C. E na minha opinião o HTML5 só será lançado oficialmente e recomendado pela W3C em 2014, concorrendo audiência com a Copa do Mundo no Brasil.

  26. Wallace ErickNo Gravatar disse:

    Que bizarro cara! o0
    Vou ter que deixar minha camisa do HTML5 guardada por mais alguns anos! 🙁

Comentário:





Teclar "Enter" cria um novo parágrafo. Teclar "Shift + Enter" causa uma quebra de linha.

Subscribe without commenting

topo